Guitarra e Afins

Guitarra e Afins

Guitarrista de Jazz ou de Rock?

Essa é uma típica discussão de bar…

Tocar jazz na guitarra é muito mais difícil do que tocar rock, ou será o contrário? Tocar rock na guitarra é muito mais difícil que tocar jazz?

Acredito que esse assunto não pode ser discutido ao ponto de chegar a uma conclusão exata, pois ambos possuem suas características e dificuldades, no mundo da guitarra acredita-se que o fato da pessoa tocar rock ou tocar com muita técnica significa que o guitarrista é um bom, porem na maioria das vezes isso não é verdade. Quero aproveitar para te indicar um artigo que fala sobre técnicas, acesse esse site e SAIBA MAIS.

Importante!

Para ser um exímio guitarrista não é preciso tocar na velocidade da luz, a questão técnica é apenas um dos pontos que o guitarrista precisa desenvolver, a coisa mais importante é você dominar música, harmonia, escalas, arpejos, improvisação e por aí vai.

 

Um dos pontos que faz o guitarrista ser considerado muito bom é a maneira como ele combina todos os pontos que citei acima, a forma como ele utiliza tudo isso para criar improvisos que te fazer perder o chão e viajar, e não estou exagerando não, as vezes vejo guitarristas muito bons no facebook.

Nasceu pra isso

É muito comum vermos guitarristas que dedicam a vida toda treinando velocidade, e isso não está errado se partirmos do que estudar guitarra deve ser um prazer, uma diversão, se o guitarrista está feliz estudando isso, que bom pra ele, é o momento dele, quem sabe um dia ele vá sentir a necessidade de estudar algo diferente que fuja um pouco da ideia de velocidade.

Existem muitos guitarristas mega rápidos com uma bagagem musical absurda, fazendo músicas fantásticas e o mais importante disso tudo, guitarristas que sabem dosar a velocidade.

O conhecimento

O contrário também é acontece, guitarristas “normais” que tocando jazz com poucas notas mas fazendo músicas e improvisos que deixam qualquer um de boca aberta.

Após anos de estudos técnicos, alguns guitarristas sentem falta de uma sonoridade diferente, nesse momento eles acabam inevitavelmente buscando o conhecimento que geralmente os guitarristas de jazz já possuem, porém a maioria desses guitarristas ainda tocam rock e não querem deixar de lado essas características virtuoses e misturam técnica com “combinações absurdas de escalas”.

FUSION

O fusion é um estilo que mistura um pouco do rock com jazz, é como se misturasse drive, com técnica e dezenas de escalas, que é o caso do grande mestre Frank Gambale, que tem uma Musicalidade incrível, ele é o mestre do sweep picking e  faz coisas fantásticas passando pelo jazz e rock.

 

Se você já conhece o Frank Gambale você sabe do que eu estou falando, ele impressiona com a forma de combinar escalas, arpejos e transitar tranquilamente pelo braço todo da guitarra utilizando speed.

Se você já conhece arpejos com sweep você pode se perguntar assim, mas o que é que tem de tão especial nesse Frank Gambale, eu já faço sweep também, eu acho até chato e massante…

Gambale não tem esse apelido de mestre do sweep pickins a toa, ele faz combinações inacreditáveis, e o mais fantástico de tudo é a sonoridade, você consegue perceber só de ouvir as primeiras notas que é ele que está tocando.

Então é isso aí, no próximo artigo estou preparando algo especial…

Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *